domingo, 27 de junho de 2010

Romanos 3:24


Anderson

"Sendo justificados GRATUITAMENTE pela sua GRAÇA, pela sua REDENÇÃO que há em CRISTO JESUS".

Há uma imensa preocupação de centenas de milhares de pessoas, porque não dizer de milhões que desenvolvem a sua fé/espiritualidade em algo ou em alguém, na expectativa de conquistar e/ou ser recompensado numa outra vida, no limear do portal dimensional dessa vida.

Para tanto, essas muitas milhares de pessoas estabelecem rotinas religiosas no afã de não somente agradar, mais conquistar essa recompensa celestial, recheada de descanso e paz eterna.

Muito mais que uma construção de letras e palavras, o texto acima indica a impossibilidade humana de conquistar algo que está pra além do potencial-humano de conquista, na verdade, não há presságios negociáveis para está tão grande salvação proporcionada por essa maravilhosa graça.

O conteúdo profético, denuncia a arrogância da relegião representadas nas figuras de templos e figuras carismáticas, intituladas como líderes-religiosos. De fato a logomarca registrada de cada instituição; a proposta instituicional não pode em hipótese alguma salvar alguém em qualquer que seja o estado em que a pessoa se encontra.

Fomos todos justificados gratuitamente, exato GRATUITAMENTE! Sei que é difícil para nosso orgulho humano de não ter participação nessa justificação, principalmente quando alguém se comporta de forma ilibada, e acretida que através de um código de pode-e-não-pode consegue seduzir a Deus, ao ponto em que Este se deixa ser acionado por um dispositivo maniqueísta-religiso.

Graças ao nosso Mestre Jesus que nos ama, e em sabendo da nossa incapacidade de justificação, se fez injusto para que nós tornássemos justo nEle. De modo em que todos nós, absolutamente todos que professe e confesse que Jesus Cristo é o Senhor já esta salvo em Cristo e por Cristo.

Essa graça orinda dessa fonte bondosa que é Cristo, nivela a todas as pessoas, seja; ricas ou pobres, negros ou brancos, migrantes ou imigrantes, homens ou mulheres, ignorantes ou intelecutais, membros ou líderes, católicos ou evangélicos, ocidentais ou orientais [...], enfim essa graça nos nivela a ponto de gerar a humilde percepção de que todos somos iguais e de que ninguém, absolutamente ninguém é melhor do que o outro, por que agora, não há gregos ou troríanos, judeus ou gentios, mas um só povo chamado igreja do Senhor Jesus Cristo.

É importante dizer que essa igreja não traz uma logomarca escrita de neon, nem tão pouco é apenas um espaço físico com um amontoado de tijolos e pinturas, mas todavia é o agrupamento de milhares de pessoas, de todas as tribos, raças,línguas e nações que confessam que Jesus Cristo é o Senhor, e dedicam suas vidas no Reino de Deus sob os ensinamentos do Evangelho de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, que resume em amar a Deus sob todas as coisas e ao próximo com Ele [Jesus] amou.

segunda-feira, 21 de junho de 2010

O Fariseu e a Criança


Palavras de Tomas Merton: “Se tenho uma mensagem para meus contemporâneos, certamente é esta: sejam o que quiserem, sejam loucos, bêbados… Mas evitem, a todo custo, uma coisa: ’sucesso’”. Evidentemente, Merton se refere ao culto ao sucesso, à fascinação farisaica por honra e poder, o impulso implacável de realçar a imagem do impostor aos olhos dos admiradores. Quando, porém, minha falsa humildade desdenha do prazer da conquista e escarnece os elogios e louvores, fico orgulhoso dela, alienado e isolado das pessoas reais, de modo que o impostor domina novamente.

_________________________________________________________________
Extraído do capítulo 5 de "O impostor Que Vive Em Mim" de Brennan Manning

Contribuição: Blog Caminho da Graça

Comercial Adidas I

video

Os Intelectuais e a Educação


Gramsci examinou de perto o papel dos intelectuais na sociedade: todo homem é um intelectual, já que todos têm faculdades intelectuais e racionais, mas nem todos têm a função social de intelectuais. Ele propôs a ideia de que os intelectuais modernos não se contentariam mais de apenas produzir discursos, mas estariam engajados na organização das práticas sociais.

Segundo sua análise, “não há actividade humana da qual se possa excluir de toda intervenção intelectual, não se pode separar o ‘homo faber’ do ‘homo sapiens’” enquanto, independentemente de sua profissão específica, cada um é a seu modo “um filósofo, um artista, um homem de gosto, participa de uma concepção do mundo, tem uma consciente linha moral”, Mas, nem todos os homens têm na sociedade a função de intelectuais.

Historicamente se formam categorias particulares de intelectuais, “especialmente em relação aos grupos sociais mais importantes e passam por processos mais extensos e complexos em conexão com o grupo social dominante”. Gramsci, então, distingue entre uma “intelectualidade tradicional” que, sem razões, se considera uma classe distinta da sociedade e os grupos intelectuais que cada classe gera “organicamente”. Estes últimos não descrevem a vida social simplesmente por regras científicas, mas de preferência exprimem as experiências e os sentimentos que as massas por si mesmas não conseguem exprimir.

O intelectual tradicional é o literato, o filósofo, o artista e por isso, diz Gramsci, “os jornalistas, que acreditam ser literatos, filósofos e artistas, também acreditam ser os verdadeiros intelectuais”, enquanto que modernamente é a formação técnica a que serve como base do novo tipo de intelectual, um “construtor, organizador, persuasor”, que deve partir “da técnica-trabalho para a técnica-ciência e a concepção humano-histórica, sem a qual permanece especialista e não se torna dirigente”. O grupo social emergente, que labuta por conquistar a hegemonia política, almeja conquistar a própria ideologia intelectual tradicional, ao mesmo tempo que forma seus próprios intelectuais orgânicos.

A organicidade do intelectual se mede pela maior ou menor conexão que mantém com o grupo social ao qual se relaciona: eles operam, tanto na sociedade civil quanto na sociedade política ou estado. A primeira representa o conjunto dos organismos privados nos quais se debatem e se difundem as ideologias necessárias para a aquisição do consenso que aparentemente surge de modo espontâneo das grandes massas da população em torno às decisões do grupo social dominante. A segunda é onde se exerce o “domínio directo do comando que se expressa no Estado e no regime jurídico”. Os intelectuais são como “apostadores do grupo dominante para o exercício das funções subalternas da hegemonia social e do regime político”. Assim como o Estado, que na sociedade política almeja unir os intelectuais tradicionais com os orgânicos, também, na sociedade civil, o partido político forma “os próprios componentes, elementos de um grupo social que nasce e se desenvolve como económico, até convertê-los em intelectuais políticos qualificados, dirigentes, organizadores de todas as actividades e as funções inerentes ao desenvolvimento orgânico de uma sociedade integral, civil e política”.

A necessidade de criar uma cultura própria dos trabalhadores relaciona-se com o apelo de Gramsci por um tipo de educação que permite o surgimento de intelectuais que partilhem das paixões das massas de trabalhadores. Neste aspecto, os adeptos da educação adulta popular tomam Gramsci como uma referência. Seu sistema educacional pode ser definido dentro do âmbito da pedagogia crítica e a educação popular teorizadas e praticadas mais contemporaneamente pelo brasileiro Paulo Freire.

Contribuição: Wikipedia

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Maradona no Aquecimento

video

A Espiritualidade do Descanso


Por Caio Fábio

Durante muitos anos eu julguei que esse mandamento de Jesus era para os outros, não para mim. Então pus-me a trabalhar na intenção de “remir o tempo, pois os dias são maus”.

O que somente a experiência revela é o seguinte:

1. Jesus viveu apenas 3 anos de intenso ministério e ainda assim julgou que era preciso parar e se separar do bulício da vida e das necessidades humanas a fim de repousar, de comer em paz e de renovar as forças do ser.

2. Sendo Ele quem era, ainda assim, não brincou com a encarnação. Trata-se de Deus respeitando os limites da condição humana.

3. Desse modo fica-se sabendo que nem Deus em Cristo prescindiu da necessidade do repouso. E as implicações disso são óbvias e simples: mesmo a mais genuína e legitima espiritualidade não pode prescindir dos limites do corpo e da alma. Portanto, qualquer projeto de espiritualidade que pretenda existir acima da condição humana está fadado ao fracasso e à doença!

No arroubo da juventude, estimulado pela energia missionária de potro, corri como quem tinha que salvar o mundo inteiro, e cansei...

As conseqüências são inevitáveis:

1. O coração perde o ardor não por falta de amor, mas por absoluta necessidade de energia.

2. Vivendo extenuado, tudo se torna pesado. E nada é mais stressante que o ministério, se vivido com paixão, calor e intensidade.

3. A alma cansada pede férias. E, muitas vezes, pede férias até mesmo do ministério. O que vem na seqüência é que já não se sabe mais se se está cansado pelo cansaço ou se se está cansado do ministério.

4. O próximo passo é que toda a pilantragem que nos circunda vai fazendo o coração cansado achar que está perdendo tempo, malhando em ferro frio, e, então, surge o marasmo, a descrença e a tristeza.

5. Cansaço deprime, esgota e des-romancia a alma. Então, vem a falência dos ideais e inicia-se o processo de trabalhar mecanicamente.

6. O fim disso é imprevisível. Uns adoecem psicologicamente. Outros anestesiam-se a fim de continuar “empurrando com a barriga”. E outros ainda, caem no caminho da auto-indulgencia, pois, se tudo é tão ruim, por quê não dá a si mesmo um pouco de auto-compensação?

Escrevi isto quando estava voltando da floresta no início deste ano de 2003!

Meu pai tem casa por lá. As cutias comem no fundo do quintal, os rastros dos gatos maracajás aparecem na areia branca e fina, os pássaros gorjeiam aos milhares e os sapos são tenores, barítonos, baixos e sopranos!

E as guaribas?—uma espécie de macaco vermelho—cantam em grupos de 300 ou 400 todas as madrugadas de lua cheia, num coral de vozes guturais e barítonas, regidas pelo macaco chefe, o capelão!

E os igarapés? e as cachoeiras? e os peixes do paraíso, após cada provada não dá mais para comer peixe de mar, carregado de maresia?

E meus amigos caboclos? e suas histórias tão puras? e suas dores tão simples e não neuróticas? e suas alegrias tão singelas? e sua fidelidade tão florestalmente macha e digna?

Ah! hoje, mais do que nunca, entendo porque meu pai nunca quis vir para estas plagas—quase pragas—locais e urbanas, onde tudo e todos ofegam até enquanto dizem descansar!

E é essa vida no descanso da Graça que quero viver. E é nessa paz de poder ser de Deus e servi-Lo sem messianismo de nenhuma natureza que estou gostando muito de viver!

domingo, 13 de junho de 2010

Acupultura

video

Início do Conteúdo Terapia Comportamental Ainda é Desconhecida


Diferentemente do Brasil, nos EUA método para tratar problemas psicológicos domina e já é ofertado pela internet. Mas há limitações, diz psicóloga...

O nome é difícil - terapia cognitivo-comportamental (TCC) - e, como sua irmã mais conhecida, a psicanálise, é um método que procura a cura de problemas psicológicos. Trabalha no aqui e agora e busca mudanças no comportamento, enquanto que a psicanálise produz autoconhecimento.

"São mais de 900 tipos de enfoques de tratamentos de psicoterapias e a TCC está no padrão ouro", explica o psicólogo Cristiano Nabuco de Abreu, coordenador do projeto Dependência da Internet, do Instituto de Psiquiatria da USP e Hospital das Clínicas. "Em todo o mundo a TCC, que é considerada eficaz em 85% dos casos, é a mais usada, porém, no Brasil a psicanálise é procurada por 80% dos pacientes", conta o especialista.

"A TCC por muito tempo foi considerada para poucos", diz o psicoterapeuta Telmo Kiguel, coordenador do Departamento de Psicoterapia da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP). "Hoje em dia os psiquiatras valorizam as terapias comportamentais-cognitivas, que lidam com sintomas", diz Oswaldo Ferreira Leite Netto, diretor de atendimento à comunidade da Sociedade Brasileira de Psicanálise.

Pelo celular. As psicoterapias, especialmente a TCC, já são ofertadas em outros países por telefone celular, mensagens instantâneas e skype. Nos Estados Unidos há até APPs (APP é um software desenvolvido para navegação na internet por telefone celular) para iPhone que a oferecem por US$ 0,99 (R$1,78). Mas há limitações, na opinião da doutora em psicologia e especialista em transtornos de personalidade e ansiedade da Universidade Columbia, Nova York (EUA), Simone Hoermann, que analisou três desses softwares.

"Acho que as novas tecnologias podem criar oportunidades que devem ser levadas em consideração", diz Simone, que explica que elas podem ajudar, por exemplo, uma pessoa que se muda de país e quer continuar o tratamento. No entanto, diz a psicóloga, ainda não há estudos que comprovem a eficácia do método a distância. E nada substituiu a consulta, opina.

"Meu trabalho se torna muito mais fácil quando posso ver o paciente. Portanto, não acredito que um programa de computador ou um livro possam substituir um profissional treinado. Além disso, boa parte dos estudos que buscam determinar por que a psicoterapia funciona indica que o relacionamento com o terapeuta é um dos fatores mais importantes . Um bom aplicativo pode ser um complemento", afirma Simone.

Restrição. No Brasil, no entanto, o assunto ainda causa polêmica. Uma resolução do Conselho Federal de Psicologia, criada em 2000, autoriza o divã virtual apenas em pesquisas científicas.

A psicoterapeuta Rosa Farah, coordenadora do Núcleo de Pesquisas em Psicologia de Informática (NPPI) da PUC-SP, explica que o conselho autoriza várias formas de orientação psicológica pelas diferentes mídias, desde que sejam breves e pontuais.

Fonte: O Estado de S.Paulo [Claudia Belfort e Silvia Herrera]

Amante Português

video

As Inesperadas Surpresas do Dia

Por Anderson Souza

Após uma bela noite ou não tão bela assim, de qualquer forma somos todos convidados a despertar para um novo dia, que a todos aguardam. Levantamos, realizamos nossa higiene matinal, e ao colocar a meia e/ou ou calçar o calçado, mal imaginamos o que o dia nos aguarda.

Infelizmente nem todos que saem dos lares pela manhã conseguem voltar. Foi o caso de um moça que cursava o 5º período de Administração/Pitágoras, que veio falecer essa semana em um acidente de motocicleta no trecho da Br 445 entre UEL e Shopping Catuaí. Assim como ela, isso acontece com muitas pessoas, já passei por essa experiência quando meu pai saiu em viagem a trabalho em 30 de Julho de 2002, e não retornou para nossa casa.

O dia começa e há possibilidades de acontecerem coisas inesperadas, imprevisíveis e até mesmo irreversíveis, esses fatos existem e não podem ser descartados. Muitas notícias vem no decorrer de um dia; desconfortos, situações constrangedoras, insucessos e infelicidades de súbito batem a nossa porta.

Assim também como muitas notícias boas podem abruptamentes nos surpreender; talvez uma ligação que comunique aprovação de um emprego ou de um concurso, a notícia de uma gravidez desejável ou até mesmo a confirmação de um namoro, noivado ou casamento, enfim no decorrer de um dia muitos acontecimentos podem nos alegrar.

Todavia o que nos faz boas pessoas, lúcidas e inteligentes é a maneira em que reagimos diante das situações-problemas que se instala inesperadamente na dinâmica da vida. As situações da vida acabam nos revelamos quem somos ou de que material somos feitos. Talvez devessemos prestar mais atenção nas coisas corriqueiras que acontecem conosco, pois são elas que nos ajudam no processo de amaderecimento, e é justamente no campo do cotidiano que trava o embate para nos tornarmos pessoas melhores a medida em que vamos aprendendo a lidar com as demandas da vida.

sábado, 12 de junho de 2010

Apartamento 808

video

Dia dos Namorados


O Dia dos Namorados ou Dia de São Valentim é uma data especial e comemorativa na qual se celebra a união amorosa entre casais sendo comum a troca de cartões e presentes com simbolismo de mesmo intuito, tais como as tradicionais caixas de bombons. No Brasil, a data é comemorada no dia 12 de junho. Em Portugal também acontecia o mesmo até há poucos anos, mas atualmente é mais comum a data ser celebrada no dia 14 de Fevereiro.

Cartão comemorativo do Dia de São Valentim, publicado em 1883 nos Estados Unidos da América.


História
A história do Dia de São Valentim remonta a um obscuro dia de jejum já tido em homenagem a São Valentim. A associação com o amor romântico chega depois do final da Idade Média, durante o qual o conceito de amor romântico foi formulado.

O bispo Valentim lutou contra as ordens do imperador Cláudio II, que havia proibido o casamento durante as guerras acreditando que os solteiros eram melhores combatentes.

Além de continuar celebrando casamentos, ele se casou secretamente, apesar da proibição do imperador. A prática foi descoberta e Valentim foi preso e condenado à morte. Enquanto estava preso, muitos jovens davam flores e bilhetes dizendo que os jovens ainda acreditavam no amor. Enquanto aguardava na prisão o cumprimento da sua sentença, ele se apaixonou pela filha cega de um carcereiro e, milagrosamente, devolveu-lhe a visão. Antes de partir, Valentim escreveu uma mensagem de adeus para ela, na qual assinava como “Seu Namorado” ou “De seu Valentim”.

Considerado mártir pela Igreja Católica, a data de sua morte - 14 de fevereiro - também marca a véspera de lupercais, festas anuais celebradas na Roma antiga em honra de Juno (deusa da mulher e do matrimônio) e de Pan (deus da natureza). Um dos rituais desse festival era a passeata da fertilidade, em que os sacerdotes caminhavam pela cidade batendo em todas as mulheres com correias de couro de cabra para assegurar a fecundidade.

Outra versão diz que no século XVII, ingleses e franceses passaram a celebrar o Dia de São Valentim como a união do Dia dos Namorados. A data foi adotada um século depois nos Estados Unidos, tornando-se o Valentine's Day. E na Idade Média, dizia-se que o dia 14 de fevereiro era o primeiro dia de acasalamento dos pássaros. Por isso, os namorados da Idade Média usavam esta ocasião para deixar mensagens de amor na soleira da porta da amada.

O dia é hoje muito associado com a troca mútua de recados de amor em forma de objetos simbólicos. Símbolos modernos incluem a silhueta de um coração e a figura de um Cupido com asas. Iniciada no século XIX, a prática de recados manuscritos deu lugar à troca de cartões de felicitação produzidos em massa. Estima-se que, mundo afora, aproximadamente um bilhão de cartões com mensagens românticas são mandados a cada ano, tornando esse dia um dos mais lucrativos do ano. Também se estima que as mulheres comprem aproximadamente 85% de todos os presentes no Brasil.

O dia de São Valentim era até há algumas décadas uma festa comemorada principalmente em países anglo-saxões, mas ao longo do século XX o hábito estendeu-se a muitos outros países.

Data no Brasil
No Brasil, a data é comemorada no dia 12 de Junho por ser véspera do 13 de Junho, Dia de Santo António, santo português com tradição de casamenteiro, provavelmente devido suas pregações a respeito da importância da união familiar que era combatida pela heresia da época chamada Catarismo. O casamento - em queda na Idade Média - gerava filhos que a seita catara condenava pois para esta o mundo era intrinsecamente mau pois, ao invés de ter sido criado por um Deus bom, teria sido criado por um Deus mau.

Fonte: Wikipédia

A data provavelmente surgiu no comércio paulista quando o publicitário João Dória trouxe a ideia do exterior e a apresentou aos comerciantes e depois foi assumida por todo o comércio brasileiro para reproduzir o mesmo efeito do Dia de São Valentin, equivalente nos paises do hemisfério norte, para incentivar a troca de presentes entre os apaixonados.

sexta-feira, 4 de junho de 2010

౦౩ de Junho Dia de CORPUS CHRISTI

Corpus Christi (expressão latina que significa Corpo de Cristo) é uma festa que celebra a presença real e substancial de Cristo na Eucaristia.

É realizada na quinta-feira seguinte ao domingo da Santíssima Trindade que, por sua vez, acontece no domingo seguinte ao de Pentecostes. É uma festa de 'preceito', isto é, para os católicos é de comparecimento obrigatório participar da Missa neste dia, na forma estabelecida pela Conferência Episcopal do país respectivo.

A procissão pelas vias públicas, quando é feita, atende a uma recomendação do Código de Direito Canônico (cân. 944) que determina ao Bispo diocesano que a providencie, onde for possível, "para testemunhar publicamente a veneração para com a santíssima Eucaristia, principalmente na solenidade do Corpo e Sangue de Cristo." É recomendado que nestas datas, a não ser por causa grave e urgente, não se ausente da diocese o Bispo (cân. 395).

Tapete de Corpus Christi em Poá - SP - Brasil


HISTÓRIA
A origem da Solenidade do Corpo e Sangue de Cristo remonta ao Século XIII. A Igreja Católica sentiu necessidade de realçar a presença real do "Cristo todo" no pão consagrado. A Festa de Corpus Christi foi instituída pelo Papa Urbano IV com a Bula ‘Transiturus’ de 11 de agosto de 1264, para ser celebrada na quinta-feira após a Festa da Santíssima Trindade, que acontece no domingo depois de Pentecostes.

O Papa Urbano IV foi o cônego Tiago Pantaleão de Troyes, arcediago do Cabido Diocesano de Liège na Bélgica, que recebeu o segredo das visões da freira agostiniana, Juliana de Mont Cornillon, que exigiam uma festa da Eucaristia no Ano Litúrgico. Conta a história que um sacerdote chamado Pedro de Praga, de costumes irrepreensíveis, vivia angustiado por dúvidas sobre a presença de Cristo na Eucaristia. Decidiu então ir em peregrinação ao túmulo dos apóstolos Pedro e Paulo em Roma, para pedir o Dom da fé. Ao passar por Bolsena (Itália), enquanto celebrava a Santa Missa, foi novamente acometido da dúvida. Na hora da Consagração veio-lhe a resposta em forma de milagre: a Hóstia branca transformou-se em carne viva, respingando sangue, manchando o corporal, os sangüíneos e as toalhas do altar sem no entanto manchar as mãos do sacerdote, pois, a parte da Hóstia que estava entre seus dedos, conservou as características de pão ázimo. Por solicitação do Papa Urbano IV, que na época governava a igreja, os objetos milagrosos foram para Orviedo em grande procissão, sendo recebidos solenemente por sua santidade e levados para a Catedral de Santa Prisca. Esta foi a primeira procissão do Corporal Eucarístico. A 11 de agosto de 1264, o Papa lançou de Orviedo para o mundo católico através da bula Transiturus do Mundo o preceito de uma festa com extraordinária solenidade em honra do Corpo do Senhor.

A festa de Corpus Christi foi decretada em 1264. O decreto de Urbano IV teve pouca repercussão, porque o Papa morreu em seguida. Mas se propagou por algumas igrejas, como na diocese de Colônia na Alemanha, onde Corpus Christi é celebrada desde antes de 1270. A procissão surgiu em Colônia e difundiu-se primeiro na Alemanha, depois na França e na Itália. Em Roma é encontrada desde 1350.

A Eucaristia é um dos sete sacramentos e foi instituído na Última Ceia, quando Jesus disse: ‘Este é o meu corpo...isto é o meu sangue... fazei isto em memória de mim’. Porque a Eucaristia foi celebrada pela 1ª vez na Quinta-Feira Santa, Corpus Christi se celebra sempre numa quinta-feira após o domingo da Santíssima Trindade. Corpus Christi é celebrado 60 dias após a páscoa.

Procissão de Corpus Christi, Moosburgo, Alemanha, 2005


A FESTA NO BRASIL
Em muitas cidades portuguesas e brasileiras é costume ornamentar as ruas por onde passa a procissão com tapetes de colorido vivo e desenhos de inspiração religiosa. Esta festividade de longa data se constitui uma tradição no Brasil, principalmente nas cidades históricas, que se revestem de práticas antigas e tradicionais e que são embelezadas com decorações de acordo com costumes locais.

Em Pirenópolis, Goiás, é uma tradição os tapetes de serragem colorida e flores do cerrado, cobrindo as ruas por onde passa-se a procissão de Corpus Christi, também efeita-se 5 altares para a adoração do Santíssimo Sacramento, e execução do cântico latino Tamtum Ergo Sacramentum, esta procissão é acompanhada pela Irmandade do Santíssimo Sacramento e pela Orquestra e Coral Nossa Senhora do Rosário. É neste dia que o Imperador do Divino recebe a coroa, para a realização da Festa do Divino de Pirenópolis, do ano seguinte.

Em Castelo, no estado do Espírito Santo, as ruas são decoradas com enormes tapetes coloridos formados por flores, serragem colorida e grãos. Em São Paulo, o município de Matão é famoso por seus tapetes coloridos feitos de vidro moído, serragem e flores que formam uma cruz no centro da cidade. A cidade de Mariana - MG comemora a festa de Corpus Christi enfeitando as ruas com tapetes de serragem e pinturas. Jaguáriúna - SP, Santo André -SP, Santana de Parnaíba - SP, São Joaquim da Barra - SP e Jacobina - BA também seguem o mesmo estilo, as ruas ao redor da matriz são enfeitadas com serragem, raspa de couro, areias coloridas, tudo o que a criatividade proporciona para este dia santo. Em Caieiras - SP a Juventude da Cidade promove com sua criatividade tapetes que se estendem no trajeto da procissão deste solene dia, desde a Igreja Matriz de Santo Antonio até a igreja de São Francisco de Assis, este trabalho dura doze horas e é coroado com a procissão luminosa em torno ao Santíssimo Sacramento.

Em Porto Ferreira - SP, a festa tem como finalidade a partilha, em comunhão com as três paróquias da cidade, é arrecado alimentos que vão servir para os enfeites nas ruas por onde o Santíssimo Sacramento irá passar, e após a solenidade serão doados a famílias que são assistidas por pastorais, como a Pastoral da Criança e Pastoral da Saúde, que realmente necessitem. Esta iniciativa perdura desde 2008.

EM PORTUGAL
Em todas as 20 dioceses de Portugal fazem-se solenes procissões a partir da igreja catedral, tal como em muitas outras localidades, que são muito participadas. Estas procissões atingem o seu esplendor máximo em Braga, Porto e Lisboa.

Ordenada por D.Dinis, a festa do Corpus Christi começou a ser celebrada em 1282, embora haja referências à sua comemoração desde os tempos de Dom Afonso III.[1] Em Portugal a festa de longa tradição era antigamente celebrada com danças, folias, e procissões em que sagrado e o profano se misturavam. Representantes de várias profissões, carros alegóricos, diabos, a serpe,a coca, gigantones, ao som de gaitas de foles e outros instrumentos desfilavam pelas ruas.[2] Das danças dos ofícios, em Penafiel ainda se celebra o baile dos ferreiros, o baile dos pedreiros e o baile das floreiras.[3][4]

Esta celebração tem uma conotação muito forte no Minho, particularmente em Monção e em Ponte do Lima. Em Ponte de Lima a tradição d´O Corpo de Deus perdura já há vários séculos. O Corpo de Deus é celebrado no 60º dia após a Páscoa, ou mais correctamente na Quinta-feira que se segue ao Domingo da Santíssima Trindade (que por sua vez é o primeiro Domingo a seguir ao Pentecostes) seguindo a norma canónica. a diferença prende-se no facto de no dia posterior ao feriado nacional, se realizar uma celebração, própria e exclusiva da vila, tendo sido decretado desde 1977 feriado para todos os Limianos. As celebrações do Corpo de Deus realizam-se durante todo o dia, sendo os Limianos presenteados com uma procissão da parte da manhã e outra da parte da tarde em volta da vila e uma missa para todos os habitantes do Concelho no próprio dia, sempre ao meio dia(12h00), na Igreja Matriz.

Em Braga, é também tradição desde 1923 a presença massiça de Escuteiros do Corpo Nacional de Escutas - Escutismo Católico Português, pois foi nessa procissão que os mesmos se apresentaram em público naquele ano.

Fonte: Wikipédia